Seja Bem Vindo! Segunda-Feira, 30 de Março de 2020
Notícia » Pessoas » Homenagens
10/03/2020 às 12h12min - Atualizada em 10/03/2020 às 12h12min
Livros – Eternos Mestres
Lembrando publicações de uma década passada

Há dez anos terminei de escrever o livro Sínteses e Paradoxos foi a minha primeira experiência editorial com a RG Editores, ótimos parceiros.

Meus livros anteriores foram editados com o selo da tradicional Editora Saraiva. Apenas para uma informação adicional o grandioso clã Saraiva, ao longo do tempo, foi composto de aproximadamente doze rotarianos, ao longo de muito e muito tempo no Rotary Club de São Paulo e em outros clubes também.

Gostaria de lembrar uma dessas publicações, após dez anos, na verdade, o livro Sínteses e Paradoxos está esgotado, no intuito de possivelmente reedita-lo, julgo oportuno apresentar apenas três parágrafos.

Em próxima postagem voltaremos a este assunto levando ao conhecimento do leitor outras informações sobre esta publicação.

 

“ACM Pinheiros é um orgulho para o movimento acemista”

Quero não apenas parabenizar a ACM Pinheiros pelo aniversário, como também comemorar com louvor essa importante marca de meio século e, principalmente, agradecer pelo empenho e dedicação com que líderes, colaboradores, empresários, voluntários, associados e moradores do bairro apoiaram e apoiam o crescimento desta unidade. Tenho certeza de que meus sentimentos podem ser compartilhados com as demais pessoas que por aqui já passaram e por aquelas que aqui frequentam diariamente.

É com orgulho e imensa satisfação que em nome da ACM São Paulo parabenizo a unidade Pinheiros por mais esse ano de trabalho e dedicação à comunidade local. O movimento acemista é grandioso, porque tem suas bases focadas em pequenas, porém exemplares ações de respeito, honestidade, responsabilidade e solidariedade pelas pessoas, como a ACM Pinheiros o faz.

Marísia Donatelli

Secretária-geral da ACM São Paulo

 

 

“A história da ACM São Paulo – Pinheiros coincide com a minha vida acemista”

Em 1959, quando estava no ensino fundamental em uma escola pública em Osasco, eu e meus colegas não tínhamos um espaço para praticarmos esportes. Então, fomos ao encontro da ACM Pinheiros.

Passaram-se 50 anos, e nós estaremos participando desta comemoração como presidente da Federação Brasileira das Associações Cristã de Moços. A unidade Pinheiros, uma das mais antigas da ACM de São Paulo, teve em sua administração profissionais extraordinários e que deram muito de sua experiência, amor, carinho e competência para atender à comunidade deste antigo e magnífico bairro. Conheci também muitos voluntários que se dedicaram nos Conselhos Diretores para que a parte física da unidade apresentasse hoje o edifício que vislumbramos, e também se dedicando nos programas e nos projetos sociais da nossa organização.

Hoje completamos 50 anos e queremos parabenizar o atual Conselho Diretor sob a presidência de Maria Luiza da Ressurreição, e também os antecessores que colaboraram na condução dos destinos da nossa associação, bem como do secretário-executivo Ruben Milcíades Vera Bordon, homem de destaque dentre os diversos colaboradores da ACM, que não tem medido esforços para manter a unidade de Pinheiros no patamar que ela está. Parabéns ao amigo e dedicado companheiro Sérgio de Castro que preside com galhardia os festejos do cinquentenário, e que nos dá a oportunidade de enviarmos esta mensagem.

Parabéns!

José Antonio Figueiredo Antiório

Presidente da Federação das ACMs

 

 

“O grande educador, o tempo”

Na formulação dos direitos humanos, seja sob o ângulo político, ou seja, sob o prisma da ciência, tudo é política. Somos, por natureza, voltados à comunhão, um todo aberto e não pequenos deuses sem porta, nem janelas, ou ainda um ídolo que não vê, nem ouve e nem fala. Com este sentimento, enviamos nossa mensagem, repleta de gratidão, a todos que construíram esta unidade da ACM. Neste século XXI, onde ainda perdura no coração dos homens o horror da violência, no antagonismo de ideologias e nos conflitos infindáveis.

Temos o dever de difundir as verdades eternas do bem e as riquezas espirituais, com o beneficio dos esportes e atividades físicas, agregando esforços para o desenvolvimento comunitário e social. Continuemos nossa missão, exaltando o nosso passado, pulsando com o presente, comemorando estes 50 anos com os olhos e mentes afinados e ajustados para projetar o futuro que esperamos ser melhor para todos.

Ricardo Granja

Presidente de Honra da Comissão 50 anos ACM Pinheiros

 

Coerente com o título desta postagem Livros – Eternos Mestres, gostaríamos de reproduzir neste momento parte das páginas 229 e 230 do livro Rotary Eterno, recentemente lançado, versando sobre o patrulheirismo e as atividades promovidas através do ensino profissionalizante em muitas regiões, conforme segue.

 

O Patrulheirismo foi idealizado na década de 60, quando o Juiz de Direito, Dr. Marino Costa Terra, e sua esposa, a pedagoga, Ophelia Pierroti Costa Terra, criaram um sistema de educação que atendesse ao grande número de adolescentes de baixa renda da periferia da cidade de São Carlos, no Estado de São Paulo.

Em setembro de 1960, Dr. Marino Costa Terra, baseado no Código de Menores, vigente na época, iniciou o trabalho de associativismo infanto-juvenil, com o objetivo de promover a inserção social dos adolescentes. Em abril de 1962, foi formado o primeiro grupo de trabalho, composto de adolescentes de baixa renda do bairro Santa Isabel. Por escolha própria, os integrantes do grupo se denominaram patrulheiros e o local de trabalho recebeu o nome de CAMP – Círculo de Amigos do Menino Patrulheiro. O Estatuto do CAMP foi criado em 1963, definindo as linhas e a estrutura do Programa Patrulheirismo”.

Com o sucesso na cidade de São Carlos, foi fundada em São Paulo, no dia 4 de julho de 1970, a Federação Brasileira de Patrulheirismo, com a função de divulgar, assessorar e motivar a criação de novos grupos, objetivando a expansão do programa em todo o país.

Como repórter, acompanhei muitas das entrevistas e declarações deste grande brasileiro idealista, criador desta entidade cada dia mais importante.

Numa destas manifestações, Marino deixou claro que o CAMP, a rigor, não deveria ser uma entidade permanente. Explicava claramente, será sempre e verdadeiramente útil enquanto o estado não cumprir as suas prerrogativas, visto que devem pertencer a ele, natural e democraticamente, a sua obrigação de se responsabilizar pela educação da juventude para que ela consiga realizar o sonho de todos, sem exclusão, para conseguir o seu primeiro emprego. Se o estado, a nação agir desta forma, os rotarianos poderão participar de outros projetos, deixando para as autoridades realizar o trabalho que lhes compete. Isso ficou muito claro no contexto da Conferência Distrital do Governador Eulógio Emilio Martinez, realizada em Poços de Caldas, no ano rotário 1979-80, sobretudo durante visita oficial ao prefeito do município realizada pelos jornalistas Carlos Taufik Haddad e eu, acompanhados pelo coordenador do evento José Apparecido Sanches e dos Governadores Areobaldo E. de Oliveira Lima e José Flávio Pimenta.

 

Em nossa região o ensino profissionalizante, conforme informamos, iniciado em São Carlos pelo inesquecível Juiz de Menores Marino Costa Terra são os seguintes: Camp Caxingui inaugurado em 1977, Jabaquara em 1993, Oeste em 1983, Pinheiros 1978, Cepro o primeiro em 1947, Espro em 1979, IPP em 2004, Nurap em 1987, Projov em 1983, Sociedade Benfeitora Jaguaré em 1958.

Nesse item poderíamos também salientar que atuam nesta área a Associação Cristã de Moços e a Associação Comercial de São Paulo, esta última interagindo e apoiando de várias formas a formação do adolescente para que eles consigam o seu primeiro emprego.

É necessário informar, entretanto, que esta obra mencionada, Rotary Eterno que em seu conteúdo relata o inicio, a trajetória e as atividades atuais destas entidades, lamentavelmente não foi adotada e indicada, pelo menos para ter um exemplar em suas bibliotecas.

Fazemos ressalvas a apenas algumas destas instituições que adquiriram exemplares para distribuição aos jovens matriculados em seus cursos.

 

As fotos desta matéria mostram os senhores Ricardo A. Granja na época presidente da Comissão de Honra da ACM – Pinheiros e Diretor Superintendente da Associação Comercial de São Paulo – Pinheiros, o rotariano e líder acemista José Antonio Figueiredo Antiório e a Secretária-geral da ACM São Paulo Marísia Donatelli.



Fonte: Sérgio de Castro
507 Exibições
Comentários

nenhum comentário cadastrado!

Deixe seu comentário:
Nome:
Email:
Cidade/Estado:
Sua Mensagem: