Seja Bem Vindo! Segunda-Feira, 18 de Junho de 2018
Notícia » Igreja » História
10/08/2012 às 16h02min - Atualizada em 10/08/2012 às 16h02min
Sumaré o bairro e suas origens
Curiosidades que marcaram a história

Da língua tupi significa Sumaré, segundo Aurélio Buarque de Holanda, substantivo masculino. Brás. Espécie da famílias das orquídeas - Cyrtopodium Punctatum – de folhas longas e lineares, flores amarelas, dispostas em amplas e ornamentais inflorescências frouxas e cujo odor lembra o tabaco, sendo o fruto uma cápsula com sementes mínimas. É orquídea terrestre, Sin. rabo-de-tatu, bisturi-do-mato.

Vocabulário Tupi Guarani Português, segundo Silveira Bueno, Sumaré é o nome de uma orquídea da qual se extrai um visgo, uma cola. Nome de um bairro da Capital paulista e de várias localidades de São Paulo.

Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo, através da resolução 01/2005, no uso de suas atribuições legais e nos termos da lei 10.032 de 27 de dezembro de 1985, com alterações introduzidas pela lei 10.236 de 16 de dezembro de 1986, de acordo com a decisão unânime dos 336 conselheiros presentes à reunião ordinária realizada em 1º de março de 2006 e considerando a extraordinária qualidade ambiental e paisagística do atual bairro do Sumaré, decorrente do padrão de uso e ocupação dos lotes.

Considerando a área verde o solo permeável e o traçado viário, qualidades derivadas das características urbanistas do loteamento original da Sociedade Paulista de Terrenos e Construções Sumaré Ltda. e suas áreas contíguas.

 

Comunidade atuante

Os Jornais Folha de São Paulo e o Estado de São Paulo do dia 12 de maio de 1991, domingo noticiavam que 300 pessoas fizeram ontem uma, manifestação na praça da esquina das avenidas Dr. Arnaldo com Professor Alfonso Bovero, no Sumaré (zona oeste de São Paulo). Elas protestaram contra a ameaça de derrubada de árvores para ampliação do reservatório da Companhia de Saneamento Básico de São Paulo, Sabesp que fica na praça.

Ás 12 horas, os manifestantes deram um “abraço simbólico” na praça. Um abaixo-assinado foi entregue ao superintendente da Sabesp, Celso Vernizzi, 38.

 

Cinquentenário do Santuário de Nossa Senhora de Fátima-Sumaré

Em 13 de maio de 1990, além das comemorações deste evento que marcaram estas festas, foi promovido pela comunidade um grande movimento, sob a liderança dos frades e de paroquianos. Frei Yves Terral, Frei Alain Hévin e de vários Grupos de oração, senhoras Maria Auxiliadora Moraes e Silva, Marlúcia de Oliveira e Jurema Patella de Castro que conseguiram junto ao Compresp e Prefeitura Municipal de São Paulo, através de Decreto da então Prefeita Luiza Erondina, a assinatura de decreto, tornando todas as árvores do Reservatório do Araçá, no, alto de Sumaré, de utilidade publica, imunes de corte. Um vitória inédita e incontestável da briosa gente da “Colina do Sumaré”.



Fonte: Sérgio de Castro
7189 Exibições
Comentários

nenhum comentário cadastrado!

Deixe seu comentário:
Nome:
Email:
Cidade/Estado:
Sua Mensagem: