Seja Bem Vindo! Sexta-Feira, 24 de Novembro de 2017
Notícia » Pessoas » Homenagens
03/12/2013 às 19h07min - Atualizada em 03/12/2013 às 19h07min
6 Décadas
1953 - Início de minha atividade no Rotary, conheci-o, verdadeiramente, com Adalberto Bueno Netto, Governador 1948-49, em agosto desse ano, precisamente na redação da revista “Vida Rotária”, da qual era Diretor

Como office-boy , desde logo, assimilei o valor da instituição rotária. Em janeiro de 1954, tive oportunidade de participar da minha primeira reunião, acompanhar as secretárias do Rotary Club de São Paulo, senhoras Fausta Guimarães e Helena Figueiredo, transportando um enorme gravador, lembram-se aqueles com duas fitas, da secretaria do clube, à Rua da Quitanda, 96 – 4º andar ao Hotel Esplanada, na Praça Ramos de Azevedo, onde esteve, posteriormente,  por muitos anos,  a sede da S.A. Indústrias Votorantim. A palestra era do Governador Nicoláu Filizola, chairman, coordenador  da grandiosa Conferência Rotária Ibero-Americana realizada em São Paulo para comemorar o Quarto Centenário de São Paulo, com a presença dos Presidentes Joaquim Serratosa Cibils e Herbert Taylor, autor da Prova Quádrupla.  Evento que confirmou  o prestígio do Rotary Club de São Paulo e do rotarismo  brasileiro

1954 – Lançamento da pedra fundamental deste Prédio, distribui e fiz a expedição no correio e via área de revista comemorativa deste evento, prometendo   o início da construção para breve, eram Diretores da publicação além de Adalberto B.Netto, já mencionado, Oscar Pereira Machado e Diretor Tesoureiro Mário Amato, associado número 1 de nossa região

1955 – Cinquentenário do Rotary, muito espaço para Imagem Pública, naquela época denominada Comissão de  Relações Públicas, apoio considerável da Mídia, sobretudo da TV Record de São Paulo.

Naquela época, ao executar minhas tarefas na redação localizada no Largo do Tesouro, centro de São Paulo, ao lado do Pátio do Colégio, existia   poucos clubes na área metropolitana,  lembro, além do São Paulo, claro, o Leste, Sul, Santo Amaro, Oeste, já havia sido fundado em 1949, por Adalberto B.Netto, o Rotary Club de Santo André, pioneiro na região do ABC

1960 – Estive presente na fita limite dos convidados, professores e funcionários à inauguração do Edfício Rotary, feita pelo Presidente Juscelino no dia 22 de outubro de 1960 ao lado dos Presidentes José Ermírio de Moraes e Álvaro Machado, muitos convidados, autoridades civis, militares e eclesiásticas, pais e alunos do Colégio Rio Branco e muitos rotarianos. Evento amplamente divulgado  nos jornais da época. Primeiro prédio construído no mundo, fora dos EUA, com essa idéia rotária, este prédio contou com a colaboração  de  clubes da área metropolitana então existentes. O Colégio Rio Branco ocupou todos os andares, exceto o 4º andar destinado às secretarias dos clubes, à administração da Fundação que até então, como uma diáspora, estava espalhada por vários locais da cidade e claro este amplo  Salão de Festas destinado à reuniões de Rotary. Assim havia sido pensado por  seus mais preeminentes fundadores, Eurico Branco Ribeiro, Álvaro Machado, José Ermírio de Moraes e o construtor Leandro Dupré.

Não muito tempo depois o crescimento do Colégio pedia a entrega do 4º andar, surge a figura de José Ermírio de Moraes Filho e assume, como Presidente a partir de 1967, a construção da chamada ala nova, na cobertura do terraço, sobre a caixa d´agua do prédio, mais uma  enorme área, inaugurada com o nome de Nicoláu Filizola, o grande professor, conhecido para sempre como o rotariano que arquitetou, divulgou , promoveu e fez aprovar em Convenção de Rotary International, o maior Redistritamento da história do Rotary, o Redistritamento  da então denominada zona ibero-americana,  permitindo assim uma melhor adequação e representatividade do Rotary em nosso país. Dois anos antes, José Ermírio tinha sido homenageado com a inauguração de um busto,  colocado no hall de entrada do Edifício, bem ao lado dos elevadores.

Acompanhei como repórter e jornalista as comemorações e efemérides magnas do rotarismo, cinqüentenário, 75 anos, 80 anos, Centenário na Convenção de Chicago, em 2005. Editei o Livro do Cinqüentenário do Rotary Club de São Paulo, totalmente esgotado, o Museu Armando de Arruda Pereira possui um exemplar. Fui um  dos 3 jornalistas contratados e bancados por Paulo Viriato, em sua Governadoria, em 1972-73, sucedendo, no Distrito 461, o campeão de companherismo Mário Frugiuele, provavelmente o dirigente esportivo de maior sucesso do futebol brasileiro, ganhador das 5 coroas, ao lado de mais 2  dirigentes esportivos e rotarianos, Nicola Galucci e Pedro Fischete, proprietários de lojas de referência do comércio em São Paulo, Lojas de Ferragens e Lojas de Som e Imagem, no centro da paulicéia.

Falando ainda de Paulo Viriato, não tem como não lembrá-lo, veio de Santos com seu nome já consolidado no início da década de 70,  esse sim quebrou paradigmas, como disse, ele que por si só era pura imagem pública, em época que pouco se falava sobre isso, na frente do seu tempo, como sempre,  montou um esquema de divulgação em Santos, no ABC e em São Paulo. Com Paulo indicando, colaborando e agindo decisivamente, publicamos a revista do Sesquicentenário da Independência, em 1972, considerada por muitos especialistas insuperável até hoje, também esgotada. Recentemente recebemos de volta, um exemplar enviado pela família de Santiago Carvalhido Filho,  antigo Governador da Cidade de Campos, Estado do Rio de Janeiro, de saudosa memória, um  dos maiores intelectuais do Rotary, aquele que podemos afirmar como integrante da elite intelectual rotária que devemos respeitar para sempre, se quisermos preservar  realmente os valores mais importantes da instituição que amamos, o Rotary, já afirmava Manoel Gutierrez Durán, Governador em 1961-62 e que terá para sempre seu lugar cativo como um dos mais conceituados  escritores do Rotary.

O Paulo Presidente podemos conhecer melhor, como testemunho e sobretudo aos mais novos rotarianos  no acervo em Santos  e  no Museu Armando de Arruda Perera, mantido pela Fundação, agora Presidida por Nahid Chicani.  Este Museu também mostra o segundo brasileiro presidente, o diplomata, como era conhecido, Ernesto Imbassay de Mello, de Niterói, seu lema “Dignificar o ser Humano”, também ficou para sempre, valorizando o Rotary no Brasil.

E o Museu Armando de Arruda Pereira que mereceu especial atenção na gestão do Presidente Eduardo de Barros Pimentel estará para sempre registrando a atuação do primeiro presidente brasileiro, saído das bases do Rotary Club de São Paulo, com  seu lema “Mais clubes, Mais Amigos”. Durante muitos anos fui fiel depositário do arquivo, fotos, gravações, filmagens, em super-oito e VHS,  registrados em nossa e outras regiões das principais manifestações e projetos. Em 1999 transferi todo esse rico acervo ao Museu e ao lado de funcionárias e a  responsável da Biblioteca do Colégio Branco, continuamos catalogando esse repositório de valor incalculável.

Década de 80 - com a presidência de Eduardo de Barros Pimentel, na Comissão de Reestruturação das publicações,  batalhamos durante três anos para a continuidade da revista “Vida Rotária fundada em 1949.  Na Brasil Rotário também trabalhei por muitos anos com os também pioneiros no Rio de Janeiro, Genebaldo Rosas, Alberto Pires Amarante, Paulo Kastrup Filho e Luiz Murgel, retomando agora com Ricardo Gondim

Neste item não, posso deixar  de registrar, a palestra, um enorme hino de amor ao Rotary e aos rotarianos, proferida em São Paulo, no Jardim de Inverno Fasano pelo Presidente do Rotary Club do Rio de Janeiro, Paulo Dias Martins, em reunião no Rotary Club de São Paulo, convocada para um ato de desagravo e apoio ao Governador Adalberto Bueno Netto, por ter sido preterido em sua pretensão para ocupar um lugar no Board de R.I. Não tenho dúvida em afirmar que foi a reunião mais representativa do Rotary em nosso mais, não foi a mais numerosa, mas contou com a presença de centenas de rotarianos de todo o país para prestigiar essa reunião inesquecível, presidida por José da Costa Boucinhas ,evidenciando o poder aglutinador do Rotary no Brasil.  

Citar nomes é sempre um grande risco, mas não posso deixar de mencionar alguns gestores da Entidade com quem partilhamos muitas décadas de trabalho, Norton A.Severo Baptista e Octávio Nagalli na Fundação e Colégio, Ignácio Adbulkader e Mário Amato no Lar Escola, responsável junto com Máximo Martins da Cruz pela construção do primeiro prédio de nova geração em Cotia, o Ginásio de Esportes, com o nome de Mário Frugiuele, inagurado com a presença do Governador Paulo Maluf

Publiquei centenas de reportagens e artigos sobre o fundador, e a saga rotária, em todo o mundo, nas revistas com  mais de 300 edições em jornais semanais e edições especiais, agora na TV e Rádio, através do Programa “Os Imigrantes”, com um único propósito divulgar Rotary.

Em evento oficial de Mídia Rotária, em Chicago, em 2005, perguntaram aos jornalistas das revistas rotárias, qual o presidente , segundo a opinião de cada um,  que mais tenha se destacado. Quando chegou a minha vez, não tive dúvida em proclamar foram 3, Clen Renouf, o australiano, o Mr.polio-plus, mexicano Carlos Canseco e Paulo Viriato, brasileiro. Da mesma forma em um Seminário em Cuiabá foi indagado qual o artigo ou matéria inesquecível, também não demorei para responder. Artigo que publiquei, inédito, de autoria de Nicoláu Filizola, em 1963, “A Criminosa Omissão das Elites” . E   matérias ? muitas ,  mas a que valorizo sobremaneira,  foi por ocasião do Cinquentenário do Rotary-Sul, em 2001, elaborada com a entrevista feita com José Alfredo Pretoni que merece toda a consideração por tudo que realiza em favor do rotarismo brasileiro.

Algumas matérias não podem faltar em nossa pauta, como por exemplo noticiar a homenagem prestada ao nosso amigo, decano de muitos clubes, Mário Porfíriro Rodrigues,  em São Caetano do Sul, recentemente, quando recebeu o Título de Professor Emérito da Faculdade do Município de São Caetano do Sul. Trata-se de um grande amigo que desde o início da década de 60 acompanha o nosso trabalho, por isso homenageio, na figura ímpar do Mário,  os amigos e colaboradores que se fosse possível seriam agora citados. Mas tenho para todos vocês um  especial apreço e consideração e sentimentos de sinceros agradecimentos 

Tradição também faz parte desta caminhada,procuro seguí-la e renovar, sendo ingredientes indispensáveis  de minhas modestas palestras, como tem acontecido neste período de enorme motivação com o time vencedor de imagem pública no país, do qual faço parte, sob o comando da brilhante rotariana Denise Santos de Cachoeiro do Itapemirim .

Muitas ações são necessárias  junto às agência de publicidade, com os departamentos e marketing de empresas de rotarianos, não fosse assim teríamos sucumbido, neste seguimento permitam, amigos,   citar  João Rotschild de saudosa memória, Diretor da Brindes Pombo e o Diretor Antiório, do Colégio Padre Anchieta,  imprescindíveis l nesta área.

Por variadas circunstâncias rotárias, participei também dos Rotary Clubs de São Paulo, Jardim das Bandeiras e República, sempre com os olhos fixos no Sumaré, bairro onde moro desde 1948, quando meu pai construiu nossa casa nesta região então conhecida como fazendinha

Enalteço o Governador Antonio José da Costa, decano do Distrito 4430  pelo trabalho em certificar as celebrações oficiais, por isso lembro a  imensa tarefa para concluir com êxito na década de 60, sobretudo em Brasília, as isenções necessárias à Fundação,  não era nada fácil e os guichês estavam sempre fechados e não tínhamos como em nossos dias a colaboração de Dora Silvia Cunha Bueno e a Associação Paulista de Fundações.

Gostaria de citar todos os rotarianos, Governadores, funcionários e amigos nesta caminhada,  por isso peço que acessem  nosso portal que procura estar sempre atualizado e contempla a trajetória de todos os Governadores desde 1923 até hoje.

O telão está projetando  algumas fotos dos principais acontecimentos desde 1923, assim como capas de jornais desde 1953, equivalentes a essas 6 décadas de história. Estão vendo esse envelope,  separei mais 15  fotos de cada década que serão publicadas e postadas também na Internet que somadas as 116 agora projetadas e legendadas, somam 206, apenas uma pequena mostra das milhares já identificadas, tratadas, legendadas e arquivadas no Museu Armando de Pereira. Ainda existem milhares de outras imagens, fotos em papel,  para também seguirem esta sequência. Em relação a imensidão de fotos digitais, não dá para pensar!

Como historiador e autor de 3 livros, devo registrar situações de ótimas parcerias,  Rotary, Igreja, Saúde Pública,  Inter- religiosidade e a comunidade

Neste mesmo salão, onde está sendo realizada esta reunião,  durante muitos anos fui promotor de bailes de formatura dos principais Colégios e Faculdades e as mais clássicas orquestras. Durante 4 anos fui promotor dos bailes de Carnaval do Club Piratininga, também aqui,  quando da construção da sede da Al.Barros e outros eventos deste clube presidido também pelo rotariano Jorge Saraiva, conhecido como Presidente doçura do Rotary Club de São Paulo.

Nesta época tive em minha atividade profissional, o apoio de um grande e antigo amigo da mídia, tendo contato com ele desde quando ainda era associado em Santos,  o engenheiro e rotariano Sylvio Passarelli, pai de Sylvia Passarelli, nossa Governadora Designada, primeira mulher presidente do segundo clube brasileiro, Rotary Club de São Paulo. Sylvio Passarelli  foi um   profissional que honrou a sua profissão e sempre colaborou para que o Rotary fosse divulgado em muitos lugares e situações.

Com a Igreja, enaltecendo a Inter-religiosidade preconizada pelo Concílio Vaticano II,  no Santuário Nossa Senhora de Fátima – Sumaré,  com projetos beneficiando a comunidade, preocupações com a saúde pública, muitos deles liderados por rotarianos e  de outros clubes de serviço, fundando  Associações de Pais e Mestres ou organizando ciclos da Escola de  Pais, não é verdade Ivo Nascimento e também fundando escola de danças, em vários municípios, sob a égide, porque não, do  rock on roll e do eminente secretário de Turismo de São Paulo, o rotariano  Paulo Meinberg, ex-presidente do Rotary-Santa Cecília, tendo como base o Hotel Comodoro   de sua propriedade.  Nessa época valiosa de nossa juventude, continuamos uma sólida amizade, iniciada muito antes com Altamiro Ribeiro Dias e seu irmão Álvaro, depois também com suas namoradas, Vânia e  Deise que se  tornaram todas amigas de Jurema,  casamos  e continuamos grandes amigos até hoje.  Levei-o ao Rotary no primeiro momento, depois Chicani o resgatou para sempre, comprovando sua vocação, já premiada por Rotary International de campeão de  desenvolvimento do quadro associativo

Não posso de deixar de agradecer ao Diretor Antiório, eu  sei que foi o responsável pela minha indicação para um dos Assistentes de Imagem Pública de Rotary International,  funções duríssimas que estou procurando cumprir atualmente  e aos Governadores Célico, Wengrill e Willy Gross, todos do Sumaré, o primeiro pela larga caminhada, com Weingrill, no clube da Governadoria que presidi em sua gestão e ao Willy como secretário do Distrito,  época em que secretário era realmente imprescindível. E a Victório Faé Neto, rotariano notável com origem no ABC,  meu grande parceiro nas Festas da Criança, Festa da Ecologia e outras realizadas no Santuário Nossa Senhora de Fátima, beneficiando milhares de crianças e na grandiosa Festa de Maio anualmente realizada no primeiro Santuário do mundo em honra de Nossa Senhora de Fátima, depois de Portugal, do qual fui Coordenador, ao lado da Jurema por 28 anos seguidos.

É imprescindível falar mais um pouco do Célico,  que ingressou no Rotary em 1979. Eu estava voltando da Convenção de Roma,   a mais aristocrática de todos os tempos e havia recebido vários comunicados para procurá-lo, alguém o havia informado para conversar comigo sobre Rotary, a história, os projetos a tradição,durante quase 6  meses estive todas as semanas em seu escritório na Rua Guaipá, por isso ficamos íntimos, ele logo pensou em fazer com que eu entrasse em seu clube, expliquei a ele que nosso Presidente não apreciava que seus gestores, funcionários ou professores fossem rotarianos, e assim procedíamos,como já havíamos informado  anteriormente ao nosso Guga, Luiz Gabriel de Castro Prada. Por esse motivo, só ingressei, após minha aposentadoria na Fundação, no dia da visita oficial do Célico ao seu clube, Sumaré, na FIESP, no dia 21 de dezembro de 1990, presidido por Nelson Weingrill.

Homenageio, mentalmente,  neste instante, muitos rotarianos, amigos e valorosos, na figura invulgar de Iscandar Tayar,o mago da Fundação Rotária,  quebrando paradigmas também, pela primeira vez, outorgou um Título Paul Harris a  funcionário da Instituição, tendo recebido em 1984 , um grande momento no enorme Salão do Clube Atlético Juventus.

Agradeço aos amigos e rotarianos de todos os Distritos com os quais compartilhei muitos trabalhos e pela generosa acolhida que tenho recebido nesta  jornada de muitos anos

Nesta viagem no tempo lembro dos  irmãos Genuino e Viso Vianna que em 1946 generosamente fizeram a doação valiosa de uma grande área em Cotia, onde a Fundação realiza obra notável,  reconhecida no mundo inteiro, onde assistimos agora a inauguração de mais um prédio, consolidando a formidável gestão do agora Chanceller Eduardo de Barros Pimentel  e confiantes nas ações e na gestão do Presidente Nahid Chicani

Ao Governador  Nadir Zacarias a quem servi também como Secretário Distrital,  agradeço  pelo apoio incondicional em situações de saúde e  seguidas provas de amizade  no tratamento da  minha querida e saudosa Jurema a quem procuro recordar agora neste momento importante de minha vida.

Agradeço ao estimado Governador Cláudio Moyses e sua esposa  Sylvia Regina que são verdadeiramente os responsáveis por este evento, agradecendo também  a todos os  presentes e a todos que enviaram mensagens de carinho e amizade.

Sylvia Regina e Claudio Moyses, agora uma palavra dirigida especialmente a vocês, desde quando ainda Claudio era novo em Rotary, foi chamado pelo Zacarias para atuar em seu PETS e a palestra chave sobre Motivação foi surpreendente e grandiosa,  todos que estavam lá haverão de lembrar-se e sentir-se motivados para sempre e  também não irão esquecer que você foi espontânea  demoradamente aplaudido de pé.

Nossa religiosidade e  o Rotary também mostram os 7 caminhos para a paz

A origem dos caminhos

O Caminho do Patriotismo - O verdadeiro patriotismo não é de nenhum partido

O Caminho da Conciliação - Conclusão de todas as coisas


O Caminho da Liberdade - É a escola da inteligência

O Caminho do Progresso - A demagogia é hipocrisia do progresso

O Caminho da Justiça - Há pessoas que passam todo o tempo em procura da justiça, não lhes sobra tempo algum para a praticarem

O Caminho do Sacrifício - É o segredo de todas as redenções

O Caminho da Lealdade - Vieira, afirmou  " a mais fácil de todas as companhias da alma é a eperança", podemos dizer que a lealdade também


Muito obrigado Cláudio Moyses



Fonte: Sérgio de Castro - fotos A. Freire
6057 Exibições
Comentários

nenhum comentário cadastrado!

Deixe seu comentário:
Nome:
Email:
Cidade/Estado:
Sua Mensagem: